Início » Como evitar refluxo em bebê: causas + 6 dicas práticas

Como evitar refluxo em bebê: causas + 6 dicas práticas

Aprender como evitar refluxo em bebê evita dores e desconfortos desnecessários no seu filho. Descubra o que é, principais causas e quando procurar atendimento médico.

Como evitar refluxo em bebê é um dos grandes temas envolvidos na maternidade. Afinal, muitos pais de primeira viagem ficam assustados quando a criança regurgita após a amamentação. Mas, não se preocupe! Isso é normal.

O chamado refluxo gastroesofágico fisiológico é comum em crianças até um ano. No entanto, quando o refluxo está associado a outros sintomas, ele deixa de ser um processo natural e se torna um problema de saúde, chamado doença do refluxo. Ela é considerada um dos fatores de risco no desenvolvimento de problemas de alimentação em bebês, por isso precisa do tratamento certo.

Vamos te explicar o que causa o refluxo em bebê, a diferença entre os dois processos e quando você deve se preocupar. Nesse artigo, você também vai aprender como evitar refluxo em bebê com dicas práticas para o dia a dia.

É normal bebê ter refluxo?

O refluxo é natural. Segundo o Departamento de Gastroenterologia, da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), estima-se que 60% a 80% dos bebês têm refluxo gastroesofágico fisiológico, ou seja, o refluxo comum.

Após os 7 meses, a condição diminui para 21% deles e depois dos 12 meses afeta menos de 5% dos pequenos.

O refluxo acontece quando o alimento volta do estômago para o esôfago, acompanhado pela regurgitação, ou não. Isso acontece porque o esfíncter, uma espécie de válvula que abre e fecha durante a passagem do leite, abre antes do momento certo. Sobretudo em recém-nascidos, ele não consegue impedir que o alimento faça o percurso inverso, logo, o leite volta para o esôfago.

Em bebês, o esfíncter fica relaxado na maior parte do tempo. Conforme a criança vai crescendo, a válvula se desenvolve melhor e o refluxo diminui. Mas, apesar disso, a situação também é comum até mesmo em adolescentes e adultos.

O refluxo acontece em bebês até os seis meses, e diminui até a criança alcançar um ano. No entanto, existem técnicas de como evitar refluxo em bebês que podem facilitar seu cotidiano e evitar desconfortos no seu filho.

Contudo, se o problema persistir, é importante que os pais procurem um pediatra ou gastroenterologista para entender o que está acontecendo.

O que causa o refluxo em bebê

O refluxo em bebês está associado a uma série de fatores, como:

  • Imaturidade do trato gastrointestinal superior;
  • Bebês com dificuldades de digestão;
  • Intolerância ou alergia ao leite, ou outros alimentos.

Sabia que até mesmo a maneira como você amamenta a criança pode estar relacionada ao refluxo e à regurgitação? Desde os primeiros meses de vida do bebê, é fundamental ter atenção a posição e a alimentação para evitar situações desagradáveis – mesmo que comuns.

Refluxo comum ou doença do refluxo?

É fácil descobrir se a criança sofre com a doença do refluxo. Basta se questionar:

  • O bebê golfa em pequena quantidade, sempre após a mamada? Então, o refluxo é comum.
  • O bebê golfa muito tempo depois da mamada, com frequência, em grande quantidade e chora? É a doença do refluxo.

A doença do refluxo causa dores e mal-estar ao pequeno, que desata a chorar. Isso faz com que ele recuse o alimento, o que compromete o seu desenvolvimento.

Nesse caso, o problema é acompanhado por sintomas comuns, como:

  • Dificuldade em ganhar peso
  • Recusa à amamentação
  • Dificuldade para mamar
  • Choro constante e irritação

A criança também pode apresentar sono agitado, rouquidão, engasgos frequentes, tosse excessiva e vômitos constantes.

Quando o problema não é tratado, pode desencadear problemas sérios à saúde do pequeno, como esofagite, pneumonia por aspiração e até mesmo anemia.

Se o refluxo apresenta tais sintomas, é preciso procurar um profissional. Um pediatra ou gastroenterologista irão avaliar a situação e indicar o tratamento ideal, de acordo com as causas do problema, que variam de criança para criança.

Como evitar refluxo em bebê no dia a dia

Saber como evitar refluxo em bebê previne desconfortos e dores nos pequenos. Aplique nossas dicas no cotidiano e garanta uma rotina livre de irritações ao seu filho:

Amamente da maneira correta

Ao amamentar, mantenha a barriga do bebê encostada na barriga da mãe. Evite tapar as narinas da criança durante as mamadas.

Além disso, o bebê não pode sugar apenas o mamilo. Na pega correta, ele abocanha parte da aréola do peito também. Assim, evita a entrada de ar no estômago, que também causa refluxos.

Se preferir, uma sugestão é amamentar o bebê na posição vertical. Dessa forma, o leite não volta com tanta facilidade.

Se você dá mamadeira para a criança, deixe-a sempre elevada, com o bico cheio de leite.

Espere o bebê arrotar

Ao terminar a amamentação, coloque o bebê na posição vertical para ele arrotar. O tempo varia de 10 a 30 minutos. Nesse meio tempo, você não precisa sacudir a criança ou dar tapinhas nas costas.

Evite balançar a criança até duas horas após a amamentação.

Dê pequenas quantidades de alimento com maior frequência

Quanto mais alimento, mais cheia fica a barriga e menos controle sobre o alimento o esfíncter terá.

Por isso, evite oferecer grandes quantidades de leite de uma vez. Fracione as mamadas e ofereça a mama com maior frequência, para garantir o bom desenvolvimento do bebê.

Ofereça leite materno

Outra maneira fácil de como evitar refluxo em bebê é oferecer o leite materno pelo máximo de tempo possível. Isso porque ele é mais fácil de digerir. Logo, o bebê tem menor probabilidade de sofrer com refluxos.

Troca de fraldas

É comum que o bebê mame e, em seguida, precise trocar a fralda. Ao deitá-lo, é possível que o alimento volte e ele regurgite.

Portanto, para evitar essa situação e ter menos roupinhas para lavar, prefira trocar as fraldas antes da mamada, ou espere a digestão completa.

Na hora de dormir

Durante o sono o refluxo tende a ser mais frequente, já que o bebê fica deitado na horizontal por algumas horas seguidas.

Para evitar qualquer complicação, deite o bebê com a barriga para cima, levemente inclinado na vertical, com cerca de 15 a 30 graus de altura. Você pode contar com um travesseiro antirrefluxo, específico para esse tipo de situação.

Meu bebê continua tendo refluxos: o que fazer?

Se a criança ainda sofre com refluxos,  regurgitação frequentes e outros desconfortos, procure um pediatra imediatamente!

Cuidar da saúde dos filhos de maneira preventiva é a melhor forma de garantir bem-estar e qualidade de vida sempre. O pediatra irá examinar e descobrir as causas do refluxo com precisão.

O tratamento poderá ser feito a base de remédios, ou através de mudanças na alimentação do pequeno. Conte com um especialista de confiança, faça acompanhamentos periódicos e check-ups anuais.

Aqui na CenttralMed você encontra pediatras e gastroenterologistas prontos para te atender. Basta fazer seu cadastro e agendar sua consulta em seguida, sem tempo de carência.
Conveniados inscritos no programa Consultas do Bem garantem isenção no pagamento de consultas! Entre em contato para saber mais sobre o benefício e marcar a próxima consulta para você e toda sua família na CenttralMed mais próxima.