Início » Quais são os sintomas de depressão: 15 sinais para ficar alerta

Quais são os sintomas de depressão: 15 sinais para ficar alerta

Entender quais são os sintomas de depressão é o primeiro passo em busca do tratamento correto. Conheça 15 sinais comuns para auxiliar quem precisa hoje mesmo.

A depressão é uma doença grave que afeta grande parcela da população brasileira e mundial. Quando não tratada, pode desencadear uma série de problemas ainda mais tensos. Por isso, é importante entender quais são os sintomas de depressão, como evitar e auxiliar alguém que precisa.

O Brasil é o país mais deprimido de toda a América Latina, e o segundo com maior índice de depressão das Américas, atrás apenas dos Estados Unidos. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 5,8% brasileiros sofrem com esta enfermidade – taxa acima da média global de 4,4%. Em números reais, 12 milhões de brasileiros estão depressivos.

A depressão é um problema sério e não deve ser banalizada! Busque ajuda profissional quando necessário e conte com o apoio de amigos e familiares para superar este momento tão complicado.

O que é depressão?

A depressão não é mimimi! Este transtorno mental é caracterizado por um sentimento de tristeza profunda e constante, e perda de interesse em atividades que, antes, eram consideradas prazerosas.

Ela afeta a forma como você pensa, se sente e vive. Em consequência, você se sente apático, indiferente, desesperançoso.

Dados recentes divulgados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019, mostram que 16,3 milhões de brasileiros com mais de 18 anos sofrem com a doença – um aumento de 34,2% de 2013 para 2019. Os números são mais alarmantes do que os divulgados pela OMS, um ano antes.

Visto o crescimento do transtorno, nunca foi tão importante falar sobre o problema e como preveni-lo. Por isso, entender quais são os sintomas de depressão é o primeiro passo. A busca por auxílio precoce torna o tratamento ainda mais eficaz.

Depressão x tristeza

A tristeza é um sentimento natural, que nos ajuda a superar desafios. Ela pode surgir em momentos de luto, términos de relacionamentos ou desemprego. No entanto, ao contrário da depressão, a tristeza é um sentimento passageiro.

Se a dor dura por mais de duas semanas, você perde o interesse na rotina e novos sintomas surgem, possivelmente a tristeza se transformou em depressão – o que é comum em situações que não foram superadas. E, nesses casos, é fundamental procurar auxílio médico urgente para evitar o surgimento de outros problemas de saúde graves.

Quais são os sintomas de depressão?

A depressão afeta a realização das atividades diárias mais básicas. Quem sofre com o transtorno pode sentir vários sintomas ao mesmo tempo ou não. Em suma, as dores duram quase todos os dias, por mais de duas semanas.

O ideal é que o paciente procure atendimento psicológico para descobrir qual tipo de depressão está enfrentando e qual a melhor maneira de lidar com o problema.

Além disso, é preciso que amigos e familiares observem bem o indivíduo, já que muitas vezes, ele por si só não consegue avaliar se está depressivo ou não.

Falta de interesse

A falta de interesse é um dos sintomas mais comuns da depressão. Nesse caso, a pessoa perde o prazer em realizar tarefas que, antes, causavam satisfação. Então, o indivíduo se sente esgotado com facilidade e prefere se isolar.

O problema afeta a relação com familiares, amigos, atividades de lazer e até mesmo o trabalho. E em alguns casos é tão grave que pode causar dores físicas, como tontura, diarreia e enjoo.

Abandono da vida social

Isolado da vida social, sentimentos de irritabilidade e melancolia tomam conta com maior frequência. Como dito, família e amigos devem ficar atentos aos hábitos da pessoa que enfrenta o problema. Uma das formas de como auxiliar alguém com depressão é ouvir, dar atenção e fazer com que ela não se sinta sozinha, para que então, busque auxílio profissional.

Pensamentos pessimistas e suicidas

O desinteresse e abandono da vida social podem desencadear pensamentos pessimistas e suicidas, já que a pessoa não vê mais graça em viver e a única alternativa para aliviar a dor é dando um fim a própria vida. Ela não se sente válida e não vê nada de positivo em si mesma.

Para se ter uma noção da gravidade da situação, o Brasil registrou um aumento de 24% no número de suicídios entre 2006 e 2015 entre a população de 10 a 19 anos, em contramão aos dados mundiais.

Para trazer holofotes ao tema, a campanha Setembro Amarelo está cada vez mais forte. Criada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), o projeto acontece desde 2014, como forma de prevenção ao suicídio. Só o Brasil registra mais de 13 mil mortes anuais. A depressão não é brincadeira.

Quais são os sintomas de depressão: + 12 sinais

Os sintomas da depressão são psicológicos, físicos e sociais:

  • Apatia
  • Falta de concentração e memória
  • Falta de energia no dia a dia
  • Sentimento de culpa e inutilidade
  • Baixa autoestima
  • Irritabilidade constante
  • Sentimento de vazio
  • Falta de apetite ou muita fome
  • Tentativas de suicídio
  • Ansiedade
  • Perda da libido
  • Insônia ou sonolência

Causas e fatores de risco

A depressão também é causada a partir de diversos fatores, entre eles:

  • Predisposição genética – nesses casos, a genética aumenta em 70% o risco do desenvolvimento da doença
  • Excesso de estímulos. O uso excessivo da internet e redes sociais pode desencadear quadros depressivos
  • Ansiedade e estresse crônicos
  • Dietas calóricas e sedentarismo
  • Consumo de drogas e álcool
  • Episódios traumáticos, como violência contínua e negligência familiar
  • Alterações nos processos químicos do cérebro
  • Uso de determinados medicamentos

Tratamentos para depressão

Agora que você já sabe quais são os sintomas de depressão, é importante descobrir qual o melhor tratamento. O ideal é procurar um psicólogo ou psiquiatra. Eles farão uma avaliação inicial, para investigar seu histórico médico e familiar, bem como fatores culturais e ambientais. Além disso, eles podem pedir exames de sangue, para assegurar que o problema não é causado por condições médicas.

A partir desses dados, o médico terá um diagnóstico assertivo e poderá indicar métodos, como uso de antidepressivos ou psicoterapia. Esses tratamentos não são eternos. Eles devem ser seguidos afinco para garantir a resolução efetiva do quadro.

Lembre-se que procurar auxílio médico é um grande gesto de autocuidado. O importante é não deixar o sentimento de apatia tomar conta e reencontrar a beleza em viver outra vez. 

Após investigar quais são os sintomas de depressão que te afligem e entender como superá-los com a ajuda de um profissional, restabeleça sua vida aos poucos.

Invista em uma alimentação de qualidade – e maneire a ingestão de cafeína e açucarados – , pratique atividades físicas e durma bem. O importante é recomeçar, independentemente do seu ritmo. Não se cobre tanto e siga as instruções do seu psicólogo ou psiquiatra.

Na CenttralMed contamos com um corpo clínico disposto a te ajudar. Cuidar da saúde é fundamental, por isso, não temos tempo de carência. Após finalizar seu cadastro no site, basta marcar seu próximo agendamento com a gente. Entre em contato para saber mais sobre o benefício.

A depressão tem cura. Pedir ajuda é o primeiro passo para a mudança.