fbpx
Pular para o conteúdo
Início » Como evitar fratura por estresse: 5 passos para não sofrer com esse problema

Como evitar fratura por estresse: 5 passos para não sofrer com esse problema

Veja como evitar fratura por estresse, um problema que afeta os ossos. Se não for tratada, a lesão causa dores intensas e pode se agravar.

Praticantes de atividades físicas até grandes atletas precisam saber como evitar fratura por estresse! Esse problema representa cerca de 10% de todas as fraturas esportivas, por isso, é fundamental saber o que causa, fatores de risco e as melhores maneiras de preservar a saúde e a sua qualidade de vida!

Na verdade, qualquer pessoa pode sofrer uma fratura por estresse. Ela é resultado de uma série de movimentos repetitivos, que causam fadiga nos ossos. A ocorrência é mais comum em atletas, já que eles se submetem a exercícios constantes que podem machucar várias partes do corpo.

No entanto, todos precisam entender como evitar fratura por estresse, de modo a evitar a evolução e agravamento do problema.

O que é fratura por estresse?

Para a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, a fratura por estresse é uma lesão causada pela prática de movimentos contínuos que geram fadiga óssea.

Nestes casos, o músculo sobrecarregado, responsável por absorver o impacto de cada atividade, não consegue realizar todo o trabalho e transfere parte da energia para o osso que, por sua vez, não tem resistência o suficiente para aguentar o impacto. Em consequência, o choque causa rachaduras, hematomas e pode até quebrar os ossos.

Por isso é tão importante saber como evitar fratura por estresse! A entrega contínua de energia sobre os ossos pode debilitar o atleta por vários meses, impossibilitando a prática de atividades.

Na maioria dos casos, o problema é derivado pela falta de descanso entre os exercícios. Pessoas que não respeitam o tempo de recuperação após atividades estão mais propensas a enfrentar a fratura em algum momento da vida.

É comum que corredores sintam com mais frequência esse tipo de lesão, sobretudo aqueles que praticam o esporte com a postura incorreta. O problema também acomete praticantes de atividades, como triátlon, vôlei, basquete e futebol – alguns dos esportes mais comuns.

Além dos atletas, a fratura por estresse pode acometer pessoas que já praticam atividades físicas e iniciam uma rotina mais intensa, a qual não estão habituadas, e pessoas sedentárias, que começam a praticar exercícios com alta intensidade, sem respeitar a própria condição física.

Sintomas do problema

Esse tipo de problema acomete os membros inferiores, responsáveis por aguentar todo o peso corporal. É comum que joelhos, quadril e fêmur sejam afetados. Mas, os locais com maior incidência são os pés, fíbula e tíbia, ossos localizados na perna.

A melhor maneira de perceber se você tem ou não fratura por estresse, é observando sua rotina de exercícios. Se notar que, ao iniciar a prática, alguma parte óssea começa a doer, é sinal que algo não vai bem.

Veja se, ao terminar a atividade e descansar, a dor cessa. Então, conforme o passar do tempo, note se a dor torna-se mais intensa, ou se piora quando exercícios de alto impacto são realizados. Nesses casos, é comum que haja quedas no desempenho e dor forte derivada de toques na região.

Existem diferentes tipos de fratura por estresse e apenas um médico pode diagnosticar o problema correto a ser tratado.

As fraturas de baixo risco são mais fáceis de ser tratadas e curadas, enquanto as de alto risco são mais complicadas de lidar. Caso não cuide da maneira correta, e volte a fazer exercícios antes do período recomendado, por exemplo, a fratura pode se tornar um problema crônico no osso.

Geralmente, a lesão leva de dois até seis meses (nos casos mais graves), para ser curada por completo.

Fatores de risco

Além de saber como evitar fratura por estresse, é importante reconhecer alguns fatores de risco que podem favorecer o surgimento da lesão.

O uso de equipamentos e calçados esportivos incorretos ajudam a sobrecarregar as articulações. Atrelado a eles, uma alimentação pobre não é capaz de repor todo o gasto energético, o que deixa os músculos mais fracos. Outros hábitos ruins como falta de água e sono irregular ajudam no desenvolvimento da fratura.

No entanto, esse tipo de lesão é mais comum em mulheres, por causa das alterações hormonais e nutricionais causadas pela prática de atividades físicas.

Como evitar fratura por estresse

A lesão óssea não acontece de um dia para o outro. O problema se desenvolve de maneira gradativa, através da união de hábitos ruins e fatores de risco.

Confira algumas maneiras de como evitar fratura por estresse:

Respeite os seus limites

Os iniciantes devem começar aos poucos. Nada de se jogar em atividades pesadas de uma vez, porque o choque compromete todo o corpo! Pratique exercícios mais leves e gradativamente acrescente desafios à rotina.

O mesmo vale para quem quer começar uma nova rodada de exercícios. Aumente a frequência e a intensidade devagar. Assim, o corpo consegue se acostumar com a mudança de hábitos e nem os músculos, nem os ossos são sobrecarregados.

Vá até o seu limite e, se precisar, conte com o auxílio de um treinador. Ele será responsável por recomendar os exercícios mais adequados, de maneira a minimizar os impactos.

Respeite o período de recuperação do corpo

Como dito, o desequilíbrio entre atividades e tempo de recuperação pode afetar os ossos. Todo o corpo precisa se recuperar por completo, antes de iniciar uma nova rodada de treinos

Descanse sem receio! Desta forma, você mantém sua qualidade de vida.

Mantenha uma rotina e alimentação saudáveis

Ter uma dieta equilibrada evita a fratura por estresse e uma série de outras doenças! Nesse caso, prefira consumir alimentos ricos em cálcio e vitamina D, dois nutrientes responsáveis pelo fortalecimento ósseo.

Não se esqueça de ter uma boa noite de sono todos os dias e beber bastante água para manter os ossos hidratados!

Use os equipamentos corretos para cada atividade

Ter o calçado apropriado evita impactos constantes nos pés. Além deles, cada exercício deve ser realizado com os equipamentos certos. Tudo deve ser pensado de modo a evitar sobrecargas.

Faça treinamentos para fortalecer os músculos

Muitas pessoas podem ter fratura por estresse devido à fraqueza muscular. Portanto, é importante adicionar treinamentos focados no fortalecimento do corpo.

Como tratar fratura por estresse

Entretanto, para aqueles que sofrem com o problema, é preciso contar com a ajuda de um profissional para entender como tratar fratura por estresse.

Na maioria dos casos, a primeira medida protetiva é o afastamento de todas as atividades. Exercícios de alongamento e fortalecimento costumam ser recomendados. Além deles, para os casos mais simples, analgésicos são indicados para aliviar dores intensas.

Quando a fratura por estresse é de alto nível, geralmente o paciente é encaminhado para cirurgia. Além dela, a fisioterapia ajuda a fortalecer a região afetada.

A melhor maneira de evitar problemas é seguindo as recomendações do seu médico ortopedista.

A CenttralMed é sua maior parceira no tratamento e combate da fratura por estresse. Aqui, você encontra médicos capacitados, focados em te atender de maneira humanizada. Isso quer dizer que cuidamos com muito mais atenção, de modo a evitar qualquer tipo de problema!

Sabia que você pode marcar sua consulta com os ortopedistas da CenttralMed, sem pagar nada? Participe do programa Consultas do Bem e cuide da sua saúde de maneira preventiva.

Entre em contato com a gente para marcar sua próxima ida ao médico com rapidez e praticidade!