fbpx
Pular para o conteúdo
Início » Por que tomar vacina? Descubra 5 benefícios da vacinação

Por que tomar vacina? Descubra 5 benefícios da vacinação

Em combate à desinformação, descubra por que tomar vacina é tão importante em todo o mundo +5 benefícios derivados da imunização em todas as idades.

Você já se questionou por que tomar vacina? Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2019 (pela primeira vez desde 1994), o país não bateu a meta de vacinação em nenhuma das 15 vacinas do calendário público.

Entre as principais causas da diminuição da cobertura nacional estão a falsa sensação de segurança causada pelas doenças controladas e extintas, e a veiculação de fake news.

Com a internet, o movimento antivacina ganhou força, sobretudo durante a pandemia do coronavírus. Por isso, é comum encontrar pessoas que questionam os reais benefícios da vacinação.

Estima-se, por exemplo, que um em cada quatro brasileiros ainda se questiona sobre tomar o imunizante contra a covid-19.

A vacinação é a maneira mais segura na prevenção de diversas doenças, principalmente as infectocontagiosas. Descubra por que tomar vacina e os principais benefícios dos imunizantes para você e sua família.

Afinal, por que tomar vacina?

A vacinação é a melhor forma de proteger a sua saúde, dos seus amigos e familiares. Ela foi a responsável pelo aumento da expectativa de vida, erradicação de diversas doenças que devastaram todo o mundo e redução das taxas de mortalidade.

Para se ter uma noção, só no século XX, a epidemia de varíola matou cerca de 500 milhões de pessoas. No entanto, com o surgimento da vacina, estima-se que 200 milhões de vidas foram poupadas da doença, de 1980 a 2018.

A vacinação em massa salva quatro vidas por minuto, é o que indica a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A imunização foi responsável por diminuir de maneira drástica o número de mortes causadas por doenças como coqueluche, paralisia infantil, rubéola, sarampo, poliomielite e tétano. Mas, é preciso ressaltar que, caso as pessoas parem de se vacinar, essas doenças podem se tornar epidemias outra vez.

Veja o caso do sarampo, por exemplo. Em 2016, o Brasil foi declarado livre da doença pela OMS. Mas, dois anos mais tarde, em 2018, um novo surto aconteceu no pais. O Ministério da Saúde estima que há mais de 7,7 mil brasileiros contaminados pela doença hoje.

E o problema não acontece apenas no Brasil. Em 2017, estima-se que 110 mil pessoas tenham morrido por causa da doença – sobretudo crianças. Já em 2019 houve um aumento de 300% no número de casos, em relação ao ano anterior.

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), cerca de 21,1 milhões de crianças no mundo não recebem a vacina contra o sarampo, o que facilita a locomoção e transmissão do vírus.

Apesar de o país ter um dos maiores sistemas de saúde pública no mundo e um sistema de vacinação de qualidade, o ceticismo ainda domina parte da população.

Como as vacinas são feitas?

Um dos argumentos que faz várias pessoas se questionarem por que tomar vacina são os ingredientes da composição – outra alegação comum do movimento antivacina.

Os imunizantes são produzidos a partir dos micro-organismos da própria doença. Ou seja, as vacinas de sarampo, por exemplo, são feitas com o vírus do sarampo enfraquecido ou morto.

Dentro do corpo, ele induz a produção de anticorpos, para o combate e proteção contra agentes estranhos, mas não são fortes o suficiente para deixar a pessoa doente. É importante ressaltar que nenhuma vacina causa a própria doença que combate

Algumas pessoas podem se imunizar durante o período de incubação – que acontece entre o contágio e a manifestação dos sintomas. Após esse intervalo, é comum que os sinais clínicos apareçam. Mas, eles não acontecem por causa da vacina, e sim porque a pessoa já estava infectada antes e não sabia.

Todas as vacinas são avaliadas de maneira minuciosa e aprovadas por institutos reguladores. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é responsável por autorizar, regulamentar, monitorar e aprimorar todas as vacinas.

Posso sentir efeitos colaterais após tomar vacinas?

Sim. Os efeitos colaterais são normais e costumam ser leves, como febre baixa por até dois dias e dor leve no local de aplicação. Qualquer medicamento apresenta efeitos adversos.

Algumas pessoas podem ter alergia aos componentes da fórmula e manifestar reações mais graves. Mas, casos do tipo são raros.

5 Benefícios das vacinas

Ainda na dúvida do por quê tomar vacina? Aqui vão cinco benefícios dos imunizantes:

  1. Proteção da sua família e amigos

Como visto, sem a vacinação, micro-organismos nocivos à saúde conseguem infectar mais pessoas desprotegidas, causar uma série de problemas graves e, nos casos mais extremos, levar o indivíduo a óbito.

A vacina é um ato de afeto, porque você se protege, ao mesmo tempo em que cuida da sua família, amigos e todos com quem tem contato. Quanto mais pessoas vacinadas, menores serão os números de casos e de transmissão.

Além disso, a imunização evita sequelas derivadas de doenças imunopreveníveis.

  1. Proteção da população

Quando grande parte da população está vacinada, ocorre o que se chama imunidade de rebanho. A maioria das pessoas fica protegida e, em consequência, acontece uma queda drástica na transmissão da doença.

Em relação ao coronavírus, por exemplo, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), quando o país alcançar de 70 a 80% da cobertura vacinal, o país conseguirá alcançar a imunidade coletiva.

  1. Economiza dinheiro

Quando uma pessoa não vacinada é infectada, pode sofrer com graves complicações que poderiam ser evitadas. Nesses casos, seria necessário desembolsar uma quantidade de dinheiro para tratamentos médicos e hospitalizações – que podem aumentar o risco de complicações clínicas.

No Brasil, as vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Vacinação (PNV): são gratuitas, disponíveis para toda a população, em todas as faixas etárias.

Assim, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a vacinação em massa gera uma economia de R$250 milhões por dia.

  1. Prevenção coletiva a doenças

A vacinação é uma estratégia de saúde pública, que visa a prevenção contra de diversas doenças. De acordo com a OMS, as vacinas evitam 2,5 milhões de mortes por ano

Contudo, vale ressaltar: é fundamental tomar todas as que estiverem disponíveis, porque os vírus continuam circulando. Os imunizantes evitam sequelas mais graves e possíveis surtos, como o de sarampo, citado anteriormente.

  1. Liberdade de ir e vir

A pandemia do coronavírus mostrou que ficar dentro de casa por tanto tempo pode causar ansiedade, outros problemas psicológicos, e até mesmo físicos. 

Hoje não dá para negar: não tem nada melhor do que sair com amigos, visitar familiares e ter um dia relaxante fora de casa. Mas, para isso acontecer, é essencial que todos estejam protegidos.

Viu só porque tomar vacina é tão importante?

Siga o calendário de vacinação proposto pelo Ministério da Saúde, desde a infância. Os imunizantes estão disponíveis para recém-nascidos, crianças, pré-adolescentes, adultos, idosos e gestantes.

A vacinação é a forma mais eficaz na prevenção contra inúmeras doenças.

Conhece alguém que precisa ler essa matéria? Compartilhe o link nas suas redes sociais e incentive amigos e familiares a se protegerem de maneira segura!