Início » 5 dicas simples e eficazes para introdução alimentar de bebês

5 dicas simples e eficazes para introdução alimentar de bebês

introdução da alimentação para bebês

Conheça 5 dicas valiosas que facilitarão a introdução alimentar do seu bebê e evite os erros perigosos desse processo.

Você não sabe como começar a introdução da alimentação para bebês? Já ouviu diversas dicas, mas tem um pé atrás sobre o que realmente é seguro?

A introdução de alimentos na vida do bebê deve ser feita de forma gradual e com paciência. Além do mais, estamos falando do processo que vai desenvolver o paladar da criança. Que vai apresentá-la a um novo mundo de cores, sabores e texturas.

Quais os alimentos são nocivos no primeiro ano de vida do bebê? É possível diminuir a resistência da criança com os novos alimentos? Quais os alimentos são vilões disfarçados de boas dicas? A seguir, conheça 5 dicas para facilitar a introdução da alimentação para bebês e elimine suas dúvidas.

1 – Comece antes do nascimento do bebê

Você adoraria que seu bebê achasse brócolis tão delicioso quanto bananas? A ideia de ver seu bebê comendo os novos alimentos com pouca (ou nenhuma) resistência anima você?

A introdução da alimentação para bebês não começa após 6 meses de nascimento da criança. Ela começa bem antes: durante a gestação e amamentação.

Na gestação, o bebê fica mergulhado no líquido amniótico, e pesquisas afirmam que a alimentação da mãe altera o seu sabor. Isso significa que, se a mãe tiver bebido um suco de cenoura nas últimas horas, o líquido amniótico ganhará o sabor desse alimento.

E é aqui que as coisas ficam interessantes…

O feto engole líquido amniótico durante toda a gestação. Ou seja, ele passa a gestação inteira provando os sabores da dieta da mãe. E com isso, ele cria memórias alimentares que facilitarão a aceitação dos “novos alimentos” no futuro.

O mesmo vale para a fase de amamentação: o que a mãe bebe ou come dá sabor ao leite. “Até o leite materno fica com o gosto daquilo que a mãe come”, diz Ary Lopes Cardoso, pediatra e chefe de nutrologia do Instituto da Criança (SP).

Dessa forma, a mãe deve adicionar em sua dieta os alimentos que irá apresentar nos primeiros anos de vida do bebê.

2 – Já se passaram 6 meses? É hora dos alimentos pastosos.

Após a introdução alimentar durante a gestação e a amamentação, chegou a hora dos alimentos pastosos.

Mas vejamos…. A criança passou 6 meses se alimentando de forma líquida, logo, tudo o que ele sabe é sucção e deglutição. Nada mais que isso. Por isso, apresentar de imediato alimentos sólidos é um erro. Seria como pular do primeiro para o último degrau da escada, com um grande risco de se acidentar.

A maneira correta de dar continuidade na introdução da alimentação para bebês é de forma gradual.E é aqui que entram as papinhas de frutas e legumes, que têm uma consistência pastosa agradável para a criança.

Algumas frutas suculentas para você fazer papinhas:

  • Pera
  • Banana
  • Cenoura
  • Beterraba
  • Mandioquinha

Atenção. Como dito, o bebê conhece apenas a sucção e deglutição. Mas e a mastigação?

Ao fazer as papinhas, nunca use o liquidificador, pois o alimento ficará fino demais, “mastigado demais.” O correto é amassar uma pera com um garfo, por exemplo, e deixar alguns pequenos pedaços para a criança mastigar. E assim incentivar seu aprendizado sobre mastigação.

3 – Sucos de frutas são vilões?

Sucos de frutas são deliciosos, mas… eles são saudáveis para o bebê?

As frutas possuem uma quantidade considerável de um açúcar chamado frutose, que fica estocado na casca, polpa e fibras. Porém, quando as frutas são espremidas (como acontece no processo de fazer sucos), todo o açúcar estocado é liberado.

Há perigo nisso?

Sim. Pois os sucos de frutas acabam se resumindo a uma concentração líquida repleta de açúcar, que não possuem nenhum benefício nutricional para o bebê.

E além disso, esse excesso de açúcar causará problemas na saúde da criança, como a obesidade. A própria Academia Americana de Pediatria, inclusive, não recomenda que crianças consumam sucos de frutas antes de completarem 1 ano de vida.

4 – A verdade sobre os temperos

Todo mundo gosta de usar temperos na comida e dar aquele realce saboroso… Mas e os bebês? Eles podem comer papinhas temperadas, por exemplo?

Se temperos fortes podem ser prejudiciais aos adultos, imagine para um bebê. Então, nada de curry ou noz-moscada no primeiro ano de vida da criança. Mas caso você queira temperar as papinhas, adicione temperos leves.

Veja alguns temperos muito usados na introdução da alimentação para bebês:

  • Salsinha
  • Hortelã
  • Alecrim
  • Coentro
  • Cebolinha

Mas nem pensar em usar temperos artificiais. Seja em pó, em cubo ou em lata, temperos industrializados são puro sódio. E por falar em sódio…

Quando introduzir o sal na alimentação do bebê?

Não se preocupe sobre isso. O próprio leite materno e os outros alimentos que farão parte da dieta da criança já contêm sal suficiente. O recomendado é apresentar esse tempero apenas após 1 ano de vida.

5 – Não desista

Você decide que é hora de apresentar a papinha de abóbora ao bebê. Segundos após a primeira colherada, ele simplesmente cospe fora. Você tenta uma segunda e terceira vez, mas ele vira o rosto em desaprovação. Ele resiste.

A dica é: não desista. A resistência da criança não significa que ela odiou a comida. (Pelo menos não ainda). Significa apenas que ela resistiu à papinha naquele momento.

Além de gradual, o processo de introdução alimentar requer paciência. Você mesmo já deve ter resistido a uma comida alguma vez, porém, um tempo depois provou e, wow!, você adorou. O mesmo acontece com os bebês: se não gostam hoje, talvez gostem amanhã.

Após a primeira tentativa, repita em 15 dias. É recomendado que você faça isso de 8 a 10 vezes.

E se a resistência continuar?

Pare. Assim como nós, os bebês também têm suas preferências alimentares. Não insista tanto em introduzir batata na sua dieta quando há um mundo de alimentos suculentos e saudáveis para eles experimentarem.

A introdução da alimentação para bebês é um momento único de apresentar à criança um mundo de alimentos saborosos

Quando o leite não supre mais todas as necessidades do bebê, é hora de introduzir outros alimentos no seu cardápio. É hora dos novos sabores. Novas texturas. E é sua responsabilidade oferecer uma alimentação saudável.

Mas há armadilhas nesse processo. Alimentos aparentemente saudáveis podem ser maléficos para o imaturo sistema digestivo do bebê. Alguns perigos podem se disfarçar de “boas dicas que você ouviu de alguém, em algum lugar.”

Você gostaria de evitar erros na introdução da alimentação para bebês? Esclarecer todas as dúvidas e saber exatamente o que fazer e quando fazer? Fugir dos alimentos alérgicos e doenças causadas pela má introdução alimentar?

Nós, da CenttralMed, temos pediatras prontos para ajudar você nesse processo. Profissionais capacitados para solucionar suas dúvidas e dar dicas preciosas.

Fale com nossa assistente Sofia através do nosso whatsapp clicando aqui e saiba de vez como apresentar os novos alimentos ao seu bebê do jeito certo.